O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.
Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 30.10.09 às 23:44link do post | favorito

INGREDIENTES:
- 1 Frango;
- 3 dl de Vinho Branco ou Cerveja
- 1 Frasco de muamba de déndem (Óleo de palma);
- 3 Cebolas;
- 2 Dentes de alho;
- Sal pisado com gindungo;
- 6 Batatas-doces;
- 1/4 Abacaxi;
- 300g Abóbora vermelha (dos fritos de Natal); 

 

PREPARAÇÃO
Corta-se o frango em pedaços.
Com as mãos, esfrega-se muito bem com o sal já pisado com o gindungo e o alho previamente picado.
Cozem-se à parte as batatas-doces, com a casca.
Faz-se um refogado só com as cebolas e algum óleo ou azeite.
Junta-se ao refogado, o vinho branco ou a cerveja, o frango com o sal pisado com gindungo e o alho picado.
Um pouco mais tarde junta-se o óleo de palma, bem misturado e de seguida alguma água misturada com a abóbora.
Deixa-se cozer um pouco, sempre em lume brando.
Quando estiver quase pronto, junta-se algum abacaxi partido em pedaços.
 

SERVE-SE
Com as batatas-doces, partidas em rodelas (com casca) e algum abacaxi.
 

Carlos Alberto Santos

 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 27.10.09 às 22:55link do post | favorito

José Saramago afirmou que “a Bíblia é um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana”.

...como disse um dia Lobo Antunes, a propósito de um comentário deste senhor:
- Ele disse isso? Coitado!

 

Carlos Alberto Santos

 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 22.10.09 às 14:01link do post | favorito

Há milhares de emails a circular na internet com esquemas maliciosos.

 

Normalmente os alvos são fáceis de encontrar e até se arranjam mais uns cinco ou dez amiguinhos a quem se reenvia a mensagem por ser engraçada.

 

Estamos no centro de uma outra guerrilha silenciosa com o inimigo sempre à espreita de um deslize nosso para tirarem informação dos nossos computadores e, simultaneamente, à pesca do nosso dinheiro ou de outras identificações.

 

O “cibercrime” está bem organizado e é global. São conhecidas algumas redes de criminosos, sediadas no Brasil, Roménia, Ucrânia… a operarem em Portugal.

 

A facilidade com que o correio electrónico, trabalhado maliciosamente, chega às nossas caixas de correio e a nossa curiosidade natural torna tentadora a abertura de ligações ou a leitura dos ficheiros anexos, é o primeiro passo para um computador infectado e dominado por códigos, que interceptam as nossas ligações à banca ou a outros locais, e até podemos estar a participar em ataques, isto tudo sem sabermos.

 

Em conclusão:

  • Estejam atentos ao endereço do email e ao conteúdo das mensagens.
  • Usem software de segurança legal e actualizado (antivírus e firewall) – o barato sai caro-.
  • Não instalem jogos, programas desconhecidos e coisas lindas… vindas da internet sem os passarem primeiro pelo antivírus.

Agora, vejam esta fraude! Como é utilizada! Mas também as há com a PJ.

 

 

 

Até sempre
Carlos Alberto Santos
 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 18.10.09 às 22:06link do post | favorito

- Ontem à noite fiz amor com a minha mulher quatro vezes seguidas, disse o algarvio. De manhã disse, que me amava muito.
 

- Ontem à noite fiz amor com a minha seis vezes, disse o lisboeta. De manhã disse, que eu era o homem da vida dela.
 

Como o alentejano estava calado, o algarvio perguntou:
- Quantas vezes é que fez amor com a sua mulher ontem à noite?
- Uma, disse o alentejano.
- Só uma?! - exclamou o lisboeta.
- E de manhã, o que é que ela disse?
- Ná pares!!!!!!!

 

(foi-me contada hoje)

 

Carlos Alberto Santos

 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 05.10.09 às 23:53link do post | favorito

A freguesia de Ribafria, outrora conhecida pelo seu microclima, pela vocação agrícola e pelas suas variadas frutas onde as cerejas eram de excepção, fica na região dos vinhos de Alenquer, onde os tintos ou os brancos são de excelente qualidade, devido, essencialmente às características dos solos, à situação geográfica, ao ar vindo do mar, à Serra de Montejunto, e às castas adequadas ao padrão dos gostos actuais.
 

 

Como em muitos outros lugares, a vindima, quando não é feita como nas grandes quintas por uma máquina, é uma azáfama e uma dor de cabeça para muitas famílias ainda muito dependentes da boa vontade de familiares, amigos ou vizinhos.
 

 

Longe dos tempos em que tantas famílias eram criadas com os dividendos das colheitas, do vinho feito em casa e da aguardente, hoje raramente se vai ouvindo falar em pipas (uma pipa = 500 litros = 25 almudes de 20 litros), outros tempos… que me deixam saudades, excepto da miséria, aonde abundava o respeito, os valores e a coragem na vida das pessoas.

 


Este ano, embora com menos de metade da produção dos melhores anos, os amigos, mais uma vez, não faltaram, sem eles era impossível, valeram-me… ganharam uma carga de trabalhos e um almoço de família, churrasco, chouriço, presunto, assados, doces… e vinho da casa.

 


Obrigado, Magui, Maria, Amélia, Cecília, Florinda e Ana (mãe da Joana). Obrigado, Velosa, Ferreiro, Horácio e Marques. Finalmente, um obrigado para, as minhas filhas Joana e Ana, aos meus netos Margarida e Gabriel, ao Rafael neto do amigo Velosa e... para a minha mulher Margarida. Um copo à vossa saúde!
Para o ano há mais!
 

Carlos Alberto Santos

 


Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal
Canal nº 888882 – Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal
mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
23
24

25
26
28
29
31


Sala de Leitura
pesquisar
 
subscrever feeds