Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Notícias e Estórias

O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.

Notícias e Estórias

O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.

Meia de leite com café direto, e... muitas mentiras

Alto Chicapa, 16.01.13

Não fora este pedacinho que aqui passo, ia-se-me a coragem. O meu marido teve um AVC. Não sai da cama. Para os dois, quarenta contos de farmácia por mês. O que sobra da reforma mal dá para comer. Esta semana, ele precisa de ir à consulta no hospital. Mas onde arranjo vinte euros? Poupar esta despesa? Mas se o que aqui como dá até ao jantar, se a sopa e o resto é para ele — havendo, fico-me pelas sobras, que adianta ficar em casa a sofrer todo o dia? Assim chego ao pé dele mais contente por neste quarto de hora esquecer o que me traz aqui. Foi bom marido e pai. Não quero que me veja lágrimas. Merece que o faça rir. E con­sigo, às vezes. A ‘senhora’ informou-a... (ler mais aqui)

 

E... muitas mentiras.

Temos um ministro das Finanças que há meses justifica as mais duras medidas de sempre para os portugueses dizendo que as mesmas são a única forma de se evitar o despedimento maciço de funcionários públicos e agora mantém silêncio sobre um relatório, por ele encomendado, que agrava as medidas já em curso e sugere que se despeçam ainda mais trabalhadores e por menos dinheiro. Temos outro ministro, neste tempo em que o Governo prepara o pacote de austeridade IV, a achar que pode exibir as suas capacidades financeiras num resort de luxo do outro lado do Atlântico, na companhia de quem quiser e sem se importar que o vejam. Temos um líder da oposição que, enquanto se entretém a escolher para câmaras importantes os primeiros alvos inimigos do seu antecessor, propõe tão timidamente eleições antecipadas que todos percebem que o que quer mesmo é que o atual Governo aplique este plano infernal e passe pelo purgatório até ao juízo final quando for tempo de, com o caminho limpo dos pecados, começar de novo e fazer diferente. E temos um FMI que tem metade dos seus altos responsáveis a dizer que a austeridade é um mau remédio e que é preciso mudar a prescrição para a crise ao mesmo tempo que a outra metade recomenda que se aumente a dosagem da receita em curso. Só se espera que não tenhamos portugueses a acharem que tudo isto é já normal (ler mais aqui).

 

Carlos Alberto Santos

 

Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal

Canal nº 888882 – Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal

1 comentário

Comentar post