Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Notícias e Estórias

O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.

Notícias e Estórias

O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.

De pau feito

Alto Chicapa, 08.04.09

Estava de serviço no Alto Chicapa, era o chamado oficial de dia, mas neste caso, era da noite. Como de costume dava o meu passeio em paz, no meio de uma grande cidade de estrelas.
A determinada altura, as estrelas fugiram e a paz passou a pesadelo.


- Então C, estás bonito… já nem dás com a caserna! Deixas-te o destacamento?
 

- Não! Não quero conversas consigo… foda-se!
 

- Que mal te fiz? Calma, é para ali e vai lá embora… toma um banho!
 

- São todos uns cabrões, chicalhada! Não quero conversas, já disse, só falo com a minha mãe! Hoje estou de sentinela sem parar!
 

Deixei-o. Continuou de mal com a vida, com todos e até o quico enfiado na cabeça o revoltava. Perguntava insistentemente, quem vem lá… quem vem lá... lá, lá, lá lá lá?
 

Passado uns dias, não desisti, de chegar à fala com ele. Era um rapaz educado, embora um pouco revoltado. Foi fácil dar-lhe alguma razão, percebeu-me e conseguimos ter uma conversa muito agradável (ainda adoro uma boa conversa de amigos).
 

- Vim do Cambatxilonda, não sei se de castigo, o homem é duro, não sabe brincar, mesmo aqui na mata…, se um tipo… leva logo uma “piçada”.
- Sabe! Andava de pau feito e sem a possibilidade de o desfazer, até doía!
 

- Entendo, um homem de pau feito não é a mesma coisa que um homem feito de pau!
 

- Aconteceu ou deram-me qualquer porra!
- Fui dar uma volta pela aldeia. A determinada altura fiquei a olhar para uma, era ela, escura no escuro, imaginei-a logo, descascadinha. Nunca a tinha visto assim, mas é como a tivesse visto, estendida, oferecida, só com o lençol por cima, até estava calor, o meu olhar estava perdido e o pau… todo no ar… deves ser um espanto, agora é que vai ser, beleza, não te assustes.
 

- Já percebi! Assustou-se e deu merda!
 

- É verdade, mas não se assustou, até lhe soube bem e era uma doida a foder de lado, só que no fim… queria muito dinheiro.
 

- Já viste, os tipos podiam estar feitos com ela ou sabe-se lá quem, até podiam aparecer nos bicos dos pés e darem-te cabo do canastro. Agora que tudo está mais calmo, digo-te, ia ser bonito, um tipo morto a caminho do putu de piça… ou melhor de pau feito…
 

- Era uma vergonha, foooda-se…

 

Agradecimentos:

 

À família 3485.
Convosco, continuo jovem e a sonhar... e percebo, que para alegria de muitos, ainda vemos o mundo desta forma!

 

Ao Manuel Carvalho e ao seu blog Paragem Leste.
Obrigado, é uma nova delícia de recordações.

 


Relativamente aos meus comentários às tais cagadeiras, agora acrescento esta fotografia, pois, como enfermeiro, talvez consigas, no meio de tanta porcaria adivinhar os milhões de salmonelas e outras... onde estaria o tipo dos colhões cor-de-rosa quando se lhe reportavam as situações...

 

Ao nosso manel, o Manuel Esteves e ao seu blog Cambatxilonda.
Parabéns, achei a estreia plena de sensibilidade e com muito que ler nas entrelinhas, até me lembrei do episódio que acabei de contar. Estou ansioso pelo próximo tema.

 

(cedida por Álvaro Marques)
 

Deixo esta fotografia… tantas recordações!

 

Finalmente, aos que estão atentos ao nosso site.
Deixo um verdadeiro muito obrigado, a todos, quantos, com maior ou menor regularidade, nos têm honrado com o prazer e a importância das suas visitas.
 

Carlos Alberto Santos

 

Seis horas de viagem

Alto Chicapa, 27.03.09

Malanje e Saurimo

 

Os transtornos na transposição dos cerca de 600 quilómetros de distância entre as cidades de Saurimo e Malanje estão praticamente ultrapassados, com a reabilitação de mais de 500 quilómetros de estrada, o que reduziu, de 24 para seis horas, o tempo de viagem em viatura ligeira.
 

 

As cidades de Saurimo e Malanje estão afastadas por apenas seis horas de viagem em viatura ligeira, contra as mais de 24 outrora gastas, graças a asfaltagem de cerca de 500 quilómetros de estrada, dos cerca de 600 que separam as duas sedes provinciais, realizada por empreiteiros chineses que, há cerca de dois anos, por conta do Governo, apostaram na sua recuperação.

 


O empenho das brigadas de construtores chineses, com vista à conclusão da empreitada, é largamente elogiado por camionistas e outros utentes, banido que está o medo de transpor troços acidentados, responsáveis por perdas de muitas vidas e de bens materiais de valores incalculáveis.


Se, ontem, divisar um carro tombado ou avariado era normal, hoje, o cenário mudou. A via favorece uma condução mais cómoda e segura, tal como referiu Joseph Pedro, camionista há vinte e cinco anos.


“O que o Governo está a fazer prova o seu empenho e vontade em desenvolver o país, nesta era de paz”, sublinhou o entrevistado, ao volante de um camião, suporte que garante o pão da sua família.

 

Notícia - Jornal de Angola

 

Transcrito por Carlos Alberto Santos

 

Luanda, rápido desenvolvimento, e o "resto" vem no fim

Alto Chicapa, 25.03.09

Como em todo o mundo, a miséria das grandes cidades fica escondida e esquecida entre as cortinas... do nada, ...mas, e a seguir, num segundo video, vejam a verdadeira Angola, aquela que me encantou e quero voltar a ver.

 

 

 

 

 

Carlos Alberto Santos

 

Troço ferroviário Munhango-Luena

Alto Chicapa, 26.02.09

 

Luena – A reabilitação do troço ferroviário entre Munhango (Bié) e o Luau (Moxico) iniciou-se esta semana com a preparação da base para aplicação dos carris - constatou a Angop.

 

Iniciada na localidade de Chicala, 35 quilómetros da cidade do Luena, a empreitada envolve 300 técnicos chineses e igual número de jovens angolanos que manejam máquinas e camiões basculantes para remoção da antiga brita e arrumação de uma nova base de terra.

 

O chefe da empreiteira chinesa "CR-20", Zhang Li Jun, disse à Angop que até Maio de 2010 será concluída a reposição dos carris e o primeiro comboio poderá chegar ao Luena, para, no final do mesmo ano, atingir a estação do Luau, município angolano fronteiriço a República Democrática do Congo.

 

O responsável da empresa encarregue da reabilitação dos 500 quilómetros do troço Munhango – Luau, do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB), adiantou que o comboio inaugural de passageiros de Lobito até Luau só acontecerá em 2011.

 

Disse que este trabalho foi antecedido, desde Setembro de 2008 até Janeiro último, da remoção dos antigos carris e brita em alguns troços, montagem da fábrica de travessas metálicas e produção de brita (na comuna de Liangongo, município do Léua), construção de estaleiros e abertura de picada ao longo do caminho-de-ferro.

 

O supervisor provincial do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) no Moxico, Manuel Adolfo Tchipaca “Dodó”, disse que os trabalhos para a remoção de minas e outras armadilhas explosivas no trilho estão avançados, apesar de algumas dificuldades de carácter técnico, principalmente nesta época chuvosa.

As equipas de sapadores do INAD e da Brigada de Engenharia das Forças Armadas Angolanas (FAA) estão empenhadas na remoção das minas e outros engenhos não detonados para garantir a execução da empreitada - sublinhou.

 

O Governo angolano investiu um bilião e 800 milhões de dólares na reparação do troço ferroviário, que contempla também a construção de pontes e 16 estações de comboios com capacidade de manuseio de mais 100 toneladas de carga por dia.

 

A aposta na reabilitação do CFB, segundo agentes económicos locais, vai impulsionar o desenvolvimento das regiões centro e leste do país, bem como fortificar a integração regional dentro da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), pelo facto da linha ligar mais três países: (RD Congo, Zâmbia e Zimbabwé).

 

Com mil e 301 quilómetros, o CFB, com mais de 100 anos de existência, é a única ligação ferroviária da África Central ao Atlântico e a sua construção teve início a 01 de Março de 1903, com base em um decreto de Agosto de 1899 da autoridade colonial portuguesa. A linha ficou concluída a 02 de Fevereiro de 1929.

A 10 de Junho de 1931 chegou ao porto do Lobito o primeiro carregamento de cobre da Katanga. Em função do seu papel, as autoridades daqueles países já mostraram, inúmeras vezes, o interesse da reabilitação urgente do CFB.

 

 

Notícia Angop

Transcrita por Carlos Alberto Santos

 

Repostos mais de 400 quilómetros de linha-férrea do CFB

Alto Chicapa, 16.02.09

 

Lobito - O director-geral do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB), Daniel Quipaxe, considerou terça-feira satisfatório o ritmo dos trabalhos da reabilitação da linha-férrea entre a cidade do Lobito (Benguela) e o município do Luau (Moxico), numa distância de mil e 314 quilómetros.

 

Em declarações à Angop, o responsável disse que os trabalhos de reposição da nova linha-férrea atingiram mais de 400 quilómetros com a chegada à cidade do Huambo, estando em curso apenas os retoques de consolidação do ramal e a conclusão de estações e apeadeiros.

 

 

 

A fonte adiantou que decorrerem trabalhos de preparação da base onde se assentará a ferrovia no ramal entre as cidades do Huambo e do Kuito, na província do Bié.

 

Enquanto isso, no ramal entre as cidades do Kuito (Bié) e Luena (Moxico) está em curso trabalhos de desmatação da via onde passará a linha-férrea.

 

Daniel Quipaxe disse acreditar que os prazos estabelecidos de fazer chegar o comboio ao município do Luau em 2010 serão cumpridos, a julgar pela dinâmica e empenho dos técnicos têm a demonstrado.

 

 

O responsável adiantou que ao longo da linha estão a ser erguidas 72 estações, 20 das quais de primeira classe e capacidade para qualquer carga, mais de 30 de nível médio e o resto serão apeadeiros.

 

Estudos feitos revelam que o Caminho-de-ferro de Benguela deverá transportar anualmente uma média de quatro milhões de passageiros e transportar mais de 20 milhões de toneladas de cargas diversas.

Por outro lado, Daniel Quipaxe se mostrou satisfeito pelo facto de 250 jovens estarem a frequentar cursos de maquinistas, electricistas, mecânicos e serralheiros com bom aproveitamento.

 

Notícia Angop

Transcrita por Carlos Alberto Santos

 

Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal

Canal nº 888882 – Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal