Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Notícias e Estórias

O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.

Notícias e Estórias

O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.

Entre homens que tinham estado na guerra...

Alto Chicapa, 22.06.17

Chamavam-lhe "terras do fim do mundo" a esse lugar para onde os mandaram na sua chegada a Angola... "Vais para o Leste? É o pior, isso são só mortos e feridos", diziam-lhe os que já estavam de regresso a Portugal. Nesse Leste, o primeiro sítio onde ficou chamava-se Lumbala. Ali, o entretém das horas mortas incluía mergulhos num rio onde primeiro se lançavam granadas para afastar os crocodilos. Tudo era hostil.

 

António diz que não é um santo, que é um homem. Aos mais experientes chamavam "velhinhos". Por serem os que estavam há mais tempo na guerra (as comissões eram de dois anos) eram eles que acolhiam os mais novos como ele, "os maçaricos", nos costumes da guerra. Explicaram-lhe que havia que arranjar uma mulher local que lhe lavasse a roupa, como faziam os outros homens.

 

Depressa aprendeu hábitos e vocabulário. Também lhe ensinaram que havia as lavadeiras "sem lavagem de quico" e "com lavagem de quico". As segundas eram as que, além de lavar a roupa dos militares, se prestavam também a favores sexuais em troca de dinheiro, em troca de comida.
 
Na enfermaria havia "camisas de Vénus", poucas, mas ninguém as pedia, "não era hábito na altura"...

Continuar a ler, aqui.

 

Carlos Alberto Santos

www.cc3485.pt

Angola, o Alto Chicapa veio comigo

Alto Chicapa, 20.11.14

Ainda... oiço o gongo do cinema Miraramar, ao ar livre... sinto o ruido e o cheiro da Baía de Luanda... não esqueci o feitiço das Luenas... vejo o brilho das estrelas nas noites da Lunda, no Alto Chicapa. Quem se lembra das aldeias, dos animais, das águas limpas dos rios...!

 

Os mandados de captura continuam por executar... Angola

Alto Chicapa, 17.07.14

(Nota dos anos 70)

 

...Citando a acusação, a imprensa angolana refere que "numa ação bem organizada", este grupo utilizou o Departamento de Gestão de Reservas do banco central para executar várias operações de pagamento ao exterior, nomeadamente em transferências "irregularmente ordenadas" ao Banco Espírito Santo (BES) de Londres.

Estes elementos, funcionários bancários, elementos policiais, advogados ou empresários, aguardavam o desfecho do processo em liberdade, com termo de identidade e residência.

Contudo, a decisão foi agora revogada pelo Tribunal Supremo de Angola que, com o despacho de pronúncia, emitiu mandados de captura contra estes elementos - por os crimes imputados não permitirem liberdade condicional -, seguindo o processo a sua tramitação normal, de acordo com a mesma informação.

O caso é descrito na imprensa privada angolana como uma das maiores fraudes no BNA, acrescentando que os mandados de captura continuam por executar, cerca de um mês depois de emitidos pela 3.ª secção da Câmara Criminal do Tribunal Supremo.

Notícia Africa21, ler mais aqui.

 

 

Angola e Portugal juntos, Editorial do Jornal de Angola

Alto Chicapa, 10.04.14

Nem sempre a conciliação de interesses leva a um estado permanente de compreensão mútuo entre os países, o que torna inteligível o eventual surgimento de situações inusitadas e inesperadas. É normal que as relações entre Angola e Portugal também passem por situações menos boas, sendo o mais importante a capacidade de se ultrapassar os percalços e evoluir-se positivamente para os pontos que unem. E não há dúvidas de que os actores políticos têm sido exemplares na medida em que, além da boa gestão dos acidentes de percurso, procuram institucionalmente fortalecer os laços bilaterais, a cada dia que passa.
Para muitos, não era expectável que instituições dos dois países, independentes e soberanos, com uma profundidade de conhecimento e interesses mútuos, pudessem arriscar tanto os laços bilaterais por causa de questões ligadas ao vazamento para a imprensa de documentos e informações de foro judicial. Mas foram, sobretudo, os órgãos de imprensa, com alguma conivência ou incúria dos órgãos judiciais, que ao promoverem a violação sistemática do segredo de Justiça em Portugal, causaram sérios problemas à relação bilateral.
Embora os laços e a cooperação económica nunca estivessem em causa, na verdade, os indícios de mal-estar fomentados pela imprensa portuguesa deveram-se, em grande medida, a algum saudosismo de alguns sectores políticos que se incompatibilizam com o estado actual das relações bilaterais. (Ler mais aqui)

 

 

Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal

Canal nº 888882 – Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal