O momento justifica-o e o objecto da família, Ex-Militares da Companhia de Caçadores 3485, impõe-no. Vamos, todos, contribuir com notícias e estórias do presente e do passado.
Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 14.02.18 às 01:16link do post | favorito

Berna, a capital da Suíça. É uma cidade com um pequeno centro histórico, de arquitetura medieval. Desde 1983, que é Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

A principal atração da cidade é a torre de Zytglogge a do grande relógio da cidade, construído no ano de 1530. Junto, há um outro com a hora solar, onde um mecanismo com um urso, um galo e um bobo da corte dão um espetáculo, que diverte os turistas.

Berna20.jpg

Percorri a rua principal, Spitalgasse, que está repleta de variadas lojas, restaurantes e pastelarias. No entanto, o que chama mais a atenção foi a quantidade de fontes e respetivas estátuas profanas projetadas no meio da rua a conviverem com os frequentes transportes públicos, automóveis, bicicletas e as pessoas em passeio.

Berna21.jpg

Berna22.jpg

Berna23.jpg

Berna24.jpg

Também foi aqui que, o homem da Teoria da Relatividade, Albert Einstein viveu. A sua casa é hoje o Museu de Einstein. No mesmo prédio encontra-se o Museu de História de Berna.

 

Perto da Ponte Nydeggbrücke, mais precisamente no BärenPark / Parque dos Ursos, encontra-se o símbolo de Berna, uma família de ursos, que felizmente hibernavam. Digo felizmente, porque é um tipo de atração turística muito dispensável… os animais não percebem porque têm que estar ali expostos e presos.

 

A Torre Käfigturm, era a torre da prisão feminina que, mais tarde, passou a ser a sede do fórum político da Confederação helvética.

Berna60.jpg

Na Bundesplatz, o Palácio Federal da Suíça é uma edificação imponente. É a sede do Parlamento Suíço com 80 elementos, que pertencem a 18(?) diferentes famílias políticas.

Berna70.jpg

O Rio Aare, que nasce nos Alpes, circula pelo centro histórico da cidade com uma cor linda de glaciar.

Berna31.jpg

Berna32.jpg

Berna33.jpg

Ficou-me na retina o Kornhaus: um antigo armazém de cereais da cidade, que se transformou num centro gastronômico, com bar e restaurante. A sua decoração é imponente. Segundo os menus, que estavam expostos, os preços eram elevados ou talvez não.

Berna50.jpg

A Catedral de Berna (Bern Minster), na Münsterplatz é o principal símbolo gótico da cidade.

Berna40.jpg

Berna41.jpg

Berna42.jpg

Berna é uma cidade de encanto, que não foge à regra de todas as outras: são pequenas e com pouca história.

Berna30.jpg

Estive hospedado no Novo Hotel, na Berna Expo. Gostei da estadia, do bom pequeno-almoço, da qualidade dos serviços e do cartão diário para os transportes. Recomendo. Para um turista, viver na Suíça será sempre na proporção da qualidade de vida dos que lá vivem, que definitivamente não é a mesma de Portugal.

 

Não quero terminar este meu último post sem realçar a educação das pessoas e o seu “modus vivendi” civilizado. Em Berna, apercebi-me, que a maioria fala várias línguas. No hotel, por exemplo, o coordenador, um Suiço típico, teimou e esforçou-se por nos falar em Português de Portugal pedindo desculpa a cada momento, quando uma palavra custava a sair. Uma surpresa.

 

E o que dizer de um transporte público que ao chegar a um semáforo toma de imediato a prioridade ou do ciclista, que na ciclovia, entre automóveis, elétricos e autocarros é o mandante da estrada, onde todos lhe prestam vassalagem.

Berna80.jpg

Para terminar, um episódio, que não é uma anedota: Na sequência da entrega do carro alugado, de matrícula alemã, no parque da Avis / aeroporto de Zurique, indicaram-me para trocar de box, em vez da 12, a que estava no contrato, passava para a 67. Um educado jovem a falar fluentemente alemão, ia fazendo as honras da casa. Apercebi-me que queria inspecionar o veículo, o nível do combustível, os quilómetros e identificar qualquer anomalia, aliás um procedimento habitual. Mas, o que me estava a espantar era ouvir um jovem a falar alemão com o sotaque das Beiras, aquele sotaque que eu bem conhecia dos meus avós. Para espanto da minha mulher, assim de repente, perguntei-lhe em português: - Amigo… não é da região da Guarda ou de Viseu? Com um grande sorriso estampado no rosto… oh, são portugueses… eu também, sou de Guimarães. Depois... houve alegria por sermos portugueses, embora disfarçados de alemães, eu por estar com um carro matriculado na Alemanha e ele pelo dialeto.

 

É assim a Suíça, encantadora e acolhedora… e quem sabe, se no futuro, com mais um cantão, dos portugueses.

 

Até… Interlaken ou Lucerna e Monte Pilatus.

 

Carlos Alberto Santos

tags: ,

Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 08.02.18 às 00:15link do post | favorito

Basileia: A terceira cidade da Suíça..., com o Rio Reno a dar-lhe um encanto especial. Faz fronteira com a França e a Alemanha e é a sede das grandes multinacionais farmacêuticas onde trabalham pessoas provenientes de todos os cantos do mundo.

Basileia10.jpg

Os edifícios são magníficos.

Basileia20.jpg

Basileia21.jpg

Apesar do frio as esplanadas funcionam, mesmo no inverno, com aquecedores, almofadas e mantas de agasalho.

Basileia30.jpg

O edifício do governo local, a Rathaus, (a nossa câmara municipal) é um autêntico ponto turístico. Um edifício vermelho com um vincado detalhe arquitetónico. O seu interior e o pátio aberto merecem uma visita.

Basileia40.jpg

Basileia41.jpg

Basileia42.jpg

Basileia43.jpg

Mittlere Brücke / Schifflände: A ponte central e a mais antiga da cidade sobre o rio Reno.

Basileia50.jpg

Basileia51.jpg

Theatherplatz e a Fonte de água Tinguely: Na praça dos teatros há uma fonte bem diferente das tradicionais com 10 esculturas em ferro que funcionam como máquinas e estão sempre em movimento.

Basileia60.jpg

Com uma história que vem desde o Império Romano, Basileia ainda preserva o encanto de uma cidade medieval, com construções históricas, ruas estreitas e partes da muralha que a cercava.

Basileia70.jpg

Basileia71.jpg

Em cidades pequenas a melhor opção de passeio é caminhar a pé e descobrir agradáveis surpresas no centro histórico. Por toda a cidade há placas azuis indicando os locais turísticos.

Os transportes são em grande número e sabe-se sempre a que horas vão passar.

Fiquei feliz por, a exemplo de Zurique, não ver gente a pedir ou a morar nas ruas.

 

Carlos Alberto Santos


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 05.02.18 às 22:55link do post | favorito

Zurique é a cidade do rio Limmat, transparente e de água potável.

 

O centro histórico, o lago, os Alpes, a Igreja das Mulheres, o Museu, a Catedral, os edifícios medievais ou centenários ao longo do rio e as ruas em labirinto, muito caraterísticas, feitas de paralelepípedos, merecem toda a curiosidade de quem por lá passa, bem como os grandes edifícios dos bancos e as enormes sedes das Companhias de Seguros. E… na classificação “qualidade de vida”, há motivos para ter sido eleita como a melhor cidade para se viver, considerando a educação, a saúde e a segurança. O rendimento, per capita, é um dos mais altos da Europa.

 

Claro que um dia na cidade é pouco para fazer grandes juízos, mas deu para cumprir com o objetivo, que estabeleci. No entanto, consegui ver livremente o que quis e não só o que querem mostrar aos turistas.

Zurique01.jpg

Estacionei o carro junto ao lindo edifício da estação de comboios no coração da cidade.

Logo em frente, tinha a rua Bahnhofstrasse, a principal rua do centro da cidade, que vai até o lago Zurique.

Zurique02.jpg

A meio, junto à ponte Munsterbrucke desviei para as margens do rio, que me encantaram.

Zurique03.jpg

Zurique04.jpg

Próximo, deparei-me com duas grandes e lindas igrejas: a Fraumusnter Kirshe (Igreja da Mulher), com a sua torre azul, pontiaguda, fina e um belo relógio e a catedral Grossmünster (Grande Igreja) e principal de Zurique, com duas torres gémeas, é dedicada aos santos Felix e Regula, padroeiros da cidade.

 

Nas imediações vê-se a St. Peterskirche (Igreja de São Pedro), a mais antiga de Zurique onde se destaca o maior relógio da Europa

Zurique10.jpg

Zurique11.jpg

Zurique12.jpg

Depois, é percorrer um emaranhado de pequenas ruas repletas de pequenas lojas de “charme”, restaurantes, galerias de antiguidades e de arte, bares e típicos salões de pastelaria… foi um prazer perder-me por ali.

Zurique20.jpg

Zurique21.jpg

Zurique22.jpg

Na Suíça há magia, limpeza, organização e paisagens de tirar o fôlego. É realmente bela, com ou sem neve. Dá vontade de ver e ver. Não consigo ficar indiferente à combinação das montanhas com os lagos e as pequenas cidades.

 

Carlos Alberto Santos


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 06.03.17 às 23:00link do post | favorito

Berna

 

Berna1.JPG

Berna2.JPG

Berna3.JPG

Berna4.JPG

 

Gruyères

 

Gruyères1.JPG

Gruyères2.JPG

Gruyères3.JPG

 

Alpes

 

Alpes_Suiços1.JPG

Alpes_Suiços2.JPG

Alpes_Suiços3.JPG

Alpes_Suiços4.JPG

Alpes_Suiços5.JPG

 

Joana Santos

www.cc3485.pt

tags: ,

Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 02.04.15 às 00:00link do post | favorito

Alpes0_Suiços

Alpes1_Suiços

Alpes2_Suiços

Gstaad0_Alpes

Gstaad1_Alpes

Saanen0_Alpes

Saanen1_Alpes

Carlos Alberto Santos

 

 

 

 

 

 

 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 01.04.15 às 00:07link do post | favorito

Montreux0

Montreux1

Montreux2

Carlos Alberto Santos

 

 

 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 31.03.15 às 00:10link do post | favorito

Lausanne1

Lausanne2

Lausanne3

Carlos Alberto Santos

 

 

 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 28.03.15 às 21:44link do post | favorito

Genebra0

 

Genebra1

Genebra2

Genebra3

Carlos Alberto Santos

 

 

 

 


Comentar
publicado por Alto Chicapa, em 28.12.12 às 23:40link do post | favorito

...até mandam estas fotografias... da Suiça.

 

 

 

 

 

 

 

Carlos Alberto Santos

 


Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal
Canal nº 888882 – Ex-Militares da 3485 no MEO Kanal
mais sobre mim
Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
27
28
29


Sala de Leitura
pesquisar
 
subscrever feeds